Como o Plano de recuperação de desastres protege seu negócio

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on reddit
Share on whatsapp

Manter a continuidade das operações é um assunto sempre em pauta para a Instituição que não deseja perder negócios e estar um passo à frente de seus concorrentes. E nesse ponto, quanto mais proativa for a segurança da informação adotada, menos risco.

Restaurar com agilidade os dados e processos quando um problema afetar a estrutura da empresa, impede que ela sofra com inatividade, e principalmente, tenha perdas financeiras.

O Plano de Disaster Recovery garante o funcionamento normal de uma empresa, protegendo a infraestrutura de TI.

O que você vai ver neste post

O que ocasiona um desastre em Tecnologia?

Desastre é uma fatalidade, uma catástrofe que causa dano à Organização. Pode atingir apenas uma parte das operações ou sua totalidade, e ser causado por uma calamidade natural, ações de cibercriminosos, problemas internos, contingência de saúde, greve etc.

O que o Plano de Recuperação de Desastres deve incluir

  • Prever e antecipar o cenário de fatalidade, que pode originar tanto de forma acidental quanto proposital;
  • Elencar os processos de recuperação para minimizar as interrupções nas redes e restaurar rapidamente a normalidade das atividades, preservando a integridade dos dados;
  • Analisar detalhadamente a infraestrutura da rede, aplicativos, bancos de dados, equipamentos, acessos; enfim, toda a tecnologia necessária para a Organização operar;
  • Mostrar os critérios que definem quando um incidente de segurança é considerado um desastre e não pode ser resolvido através de procedimentos comuns de atendimento.

Objetivos Gerais do Plano de Disaster Recovery

  1. Assegurar a segurança das operações;
  2. Garantir que o sistema de backup seja efetivo;
  3. Minimizar o efeito das interrupções e paradas causados pelo problema;
  4. Reduzir efeitos de inatividade e atrasos;
  5. Ajudar a retomada das operações com rapidez.

Objetivos de segurança do Plano de Disaster Recovery

  1. Prevenir desastres antes que eles aconteçam. Exemplo de medida preventiva: backup, seguido da recuperação dos dados na nuvem.
  2. Antecipar problemas para evitar desastres.
  3. Mitigar e minimizar impactos negativos dos desastres.

Diferença entre Plano de Continuidade de Negócios e Plano de Disaster Recovery

Embora muitos confundam Plano de Disaster Recovery (DRP) com Plano de Continuidade de Negócios (BCP), o DRP é considerado parte do BCP. Veja a distinção entre os dois:

  • O Plano de Continuidade de Negócios (BCP) busca a recuperação dos processos críticos que são necessários para o funcionamento normal de uma Companhia. Isso envolve o Plano de Retomada de Negócios (BRP), o Plano de Emergência de Ocupantes (OEP), o Plano de Continuidade de Operações (COP), o Plano de Recuperação de Desastres (DRP) e o Plano de Gerenciamento de Incidentes (IMP).
  • O Plano de Disaster Recovery (DRP) foca apenas no reestabelecimento dos sistemas e infraestrutura de TI, após eventos de interrupção.
  • O Plano de Disaster Recovery (DRP) é essencial no Plano de Continuidade de Negócios (BCP), para manter as Organizações ativas, possibilitando a seus colaboradores manterem suas atividades de trabalho, de forma segura, onde quer que eles estejam.
O VaultOne permite que você controle completamente sua segurança, automatizando processos, concedendo acesso remoto seguro e muitos outros recursos.
 
Com a VaultOne, você tem certeza de que sua propriedade intelectual está em boas mãos.
 
Fale hoje mesmo com nossos especialistas e conheça o que podemos fazer para proteger o seu negócio.

ACOMPANHE
nossas redes

RECEBA NOTÍCIAS
no seu e-mail